RETABLO

Retablo, Peru, 2017, Drama, 95 minutos

Direção: Alvaro Delgado Aparicio

Elenco: Junior Bejar, Amiel Cayo, Magaly Solier, Mauro Chuchon e Ubaldo Huamán

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 16 anos

Contém: Violência, relações intimas, nudez

Onde encontrar: Netflix

Obra peruana repleta de signos, cultura, drama, todos envolvidos em uma narrativa muito bem formulada, tratando da cultura do povo peruano e de um embate entre duas gerações, cada uma com suas visões a respeito da realidade ao seu redor. Apresenta também, de maneira mais aprofundada, os costumes e tradições de um vilarejo, inserido nas dinâmicas globais e que reverbera certas consequências, sendo estas, apresentadas na obra. Assim, o filme se configura como grande representante das obras latinas pois, de maneira única, consegue fazer um recorte da realidade de um povo por meio de uma trama que discute questões muito complexas e subjetivas, tais como tradição, herança, sexualidade e várias outras coisas.

Em princípio, observamos na abertura da trama a apresentação do protagonista chamado Segundo, um adolescente que vive em um vilarejo e que é treinado pelo seu pai, Noé, no ofício da manufatura de retábulo, que são basicamente artefatos sacros para a ornamentação de estruturas sagradas. Estes estão muito ligados a uma mistura cultural entre o cristianismo oriundo da colonização espanhola com a ressignificação dos povos andinos originários da região. Observamos assim, um certo tom folclórico na obra, além de uma discussão a respeito das fortes influências do passado sobre aquele povo, quando notamos a insistência do pai para que o filho aderisse à prática da produção dos retábulos assim como vários outros afazeres que o homem fazia questão que o jovem acompanhasse para que fossem herdados. Em determinado momento, a trama ganha toda a sua complexidade no momento em que Segundo vai para a cidade vender os artefatos e acaba flagrando o pai em uma situação muito delicada e intensa, o que delineia toda discussão da obra e quebra os paradigmas de tom documental que ia se desenvolvendo.

Assim, trata-se de um filme construído com um roteiro sólido, linear e com uma narrativa muito clara, não representando nenhuma dificuldade imediata para a compreensão da obra. De maneira geral, a narrativa consegue abordar muito bem suas propostas, apesar de demorar um pouco para apresentar suas discussões mais centrais, conseguindo de fato desenvolver um trabalho realista no que tange a apresentação de seus ambientes e nas dinâmicas entre os personagens, profundo com relação às suas questões que almeja abordar, e por fim, belo, a respeito do desenvolvimento, da construção do roteiro e de seu desfecho.

Dessa maneira, o filme acabou ganhando bastante notoriedade, porém não conseguiu muitas premiações no exterior.

Thiago Freire Nascimento