Painel 7 – Bacias Hidrográficas

Bacias Hidrográficas


LOCALIZAÇÃO DAS BACIAS

O Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC) se encontra na Microbacia Hidrográfica do Córrego do Gregório. Você consegue descobrir qual a bacia hidrográfica onde você mora? Clique na foto ao lado para expandi-la e boa busca!

Para mais informações incríveis sobre as microbacias, nós do CDCC e da UFSCar preparamos um  completo Atlas Histórico Socioambiental das Regiões Hidrográficas de São Carlos. Clique aqui!


BACIAS HIDROGRÁFICAS DO RIO TIETÊ-JACARÉ E DO RIO MOGI-GUAÇÚ

A área do município de São Carlos é compartilhada por duas grandes bacias hidrográficas: a do  Tietê-Jacaré, ao sul, onde se concentra a parte urbana de São Carlos e a do Mogi Guaçu, ao norte, onde se concentra a região rural da cidade, bem como os distritos de Água Vermelha e Santa Eudóxia. Saiba mais sobre as bacias hidrográficas. Clique nas Imagens para saber mais informações de cada Bacia! =^D


COMO É ADMINISTRADO O AQUÍFERO GUARANI

Você sabe como funciona o aquífero guarani? Quais são e como funcionam os órgãos de preservação do governo para esse essencial recurso natural? É essencial nós sabermos quais são os ciclos e necessidades do Aquífero, pois este é a  principal fonte de captação de Água das nossas cidades! Confira isso e muito mais nesse vídeo da Agência Nacional de Águas (ANA).


CAPTAÇÃO DE ÁGUA

De onde vem a água que bebemos? 

A cidade de São Carlos possui duas formas principais de captação de água, você saberia dizer quais são?

Se você disse: Poços artesianos e captação superficial ou fluvial, você acertou!

 

  • A captação por poços artesianos é feita por meio do bombeamento de água dos lençóis freáticos do Aquífero para a superfície. A água proveniente desse sistema é tão limpa que é disponibilizada diretamente para consumo, sem a necessidade de tratamento. Clique na imagem e confira mais sobre os poços profundos de São Carlos com a Administradora desse sistema; a SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto.
  • Já a captação superficial é feita por meio de bombeamento de água dos rios. Esta água é canalizada e passa por tratamento para a retirada de impurezas e materiais orgânicos impróprios para consumo, e depois encaminhada para o sistema de distribuição.Clique na imagem e confira mais sobre os superficiais de São Carlos com a Administradora desse sistema; a SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto.

ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO E A DEVOLUÇÃO AOS CURSOS D’ÁGUA

Como vimos no tópico anterior, a captação superficial exige um tratamento antes de ser distribuída para consumo. Esse tratamento é feito pelas Estações de Tratamento de Água, as E.T.A.S. Elas são responsáveis por garantir água limpa e de qualidade chegar na sua casa depois de extraída dos rios, retirando impurezas e materiais orgânicos e adicionando Flúor e Cloro. Estão mais próximas da sua casa que imagina! Confira um pouco mais sobre  como as ETAs funcionam clicando na imagem.

Além das E.T.A.s  também há outra etapa importante no ciclo de uso da água. A devolução aos cursos d’água. Para não haver contaminação e poluição das bacias hidrográficas há leis que obrigam o tratamento do esgoto antes de ser devolvido aos cursos d’água. Isso é feito pelas Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs). Há ETEs na cidade de São Carlos e também nos Distritos de Água Vermelha e Santa Eudóxia, a mais famosa é a ETE do Monjolinho. Clique na imagem e saiba mais como funciona cada uma das Estações de Tratamento de Esgoto da Cidade de São Carlos e dos Distritos.

Você Sabia?

Não é permitido o despejo do esgoto diretamente no curso d’água, por isso, quando avistar aqueles canos nas margens dos rios canalizados, são eles canos de escoamento das águas das chuvas.


TRATAMENTO DE LIXO: SEGURANÇA ÀS BACIAS HIDROGRÁFICAS

Você sabe o que é chorume? Também conhecido como líquido percolado ou lixiviado, o chorume é um líquido poluente mal-cheiroso, originado da decomposição de matéria orgânica. Ele ocorre em lixos domésticos e industriais que, se não tratados, podem gerar problemas ambientais. 

As bacias hidrográficas brasileiras sofrem com contaminações de chorume em rios e lençóis freáticos devido ao descarte irregular de lixo em lixões não preparados para enfrentar esse problema. Por isso é essencial o manuseio correto do lixo. Assim, são construídos aterros sanitários ambientalmente seguros, como é o caso do Aterro Sanitário de São Carlos, com uma camada impermeável em seus depósitos que impede a infiltração de chorume para o lençol freático.