A SEPARAÇÃO

Jodaeiye Nader az Simin, Irã, 2010, Drama, 123 minutos

Direção: Asghar Farhadi

Elenco: Leila Hatami, Peiman Ma’adi, Shahab Hosseini, Sareh Bayat, Sarina Farhadi

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 12 anos

Contém: Violência

Onde encontrar: Globoplay

Drama iraniano da atualidade que apresenta a forte e sofrida história do casal Nader e Simin em um grande dilema enquanto outros problemas completamente inesperados ocorrem. Trata-se de uma emocionante obra que mostra com detalhe a cultura e a convivência das famílias iranianas enquanto aborda problemáticas que podem ocorrer em quaisquer outras situações e países. Trata-se de um filme emocionalmente carregado que trará algumas questões culturais chaves, as quais permeiam toda a sua trama e seus desenvolvimentos.

Notamos, na introdução do filme, o forte impasse entre Nader e Simin, no qual Simin quer deixar o país na companhia de sua filha Termeh e de seu marido Nader em virtude de várias instabilidades e problemas que eles vêm enfrentando, porém seu marido Nader pretende ficar com sua família no Irã para que ele possa continuar cuidando de seu idoso pai, que sofre com o Mal de Alzheimer. Dessa maneira, como o casal não consegue resolver o impasse, Simin acaba recorrendo ao divórcio, contudo o Tribunal designado a tratar destas questões familiares julga que não há razões suficientes para que o processo ocorra. Infeliz com a decisão, Simin volta a morar com seus pais, mas sua filha permanece na casa do marido. Com isso, a vida de Nader fica mais complicada, fazendo com ele vá atrás de uma cuidadora para seu pai. Assim, Nader contrata Razieh, que precisa muito do emprego, e todos os dias ela leva sua filha consigo, porém enquanto fazia umas das tarefas de cuidar da casa, ela nota que o pai de Nader desaparece e isso acaba dando sequência a vários outros problemas para a família.

Assim, observamos uma narrativa consistente, clara e linear com todo o decorrer da obra, não apresenta nenhuma quebra cronológica ou dificuldade para sua compreensão.

Por fim, é válido mencionar que o filme obteve bastante notoriedade no seu lançamento, tendo sido prestigiado pelo Festival de Berlim no Prêmio do Júri Ecumênico, Melhor Atriz, Melhor Ator e pelo Urso de Ouro, além da honra de ser prestigiado pela indicação ao Oscar de Melhor Roteiro Original e por ter vencido na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, tendo vencido nesta categoria também na premiação do Globo de Ouro.

Thiago Freire Nascimento