Logo e link para a página inicial do CDCC
CENTRO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E CULTURAL
Facebook YouTube

Dia 11 de agosto de 2018, às 20 horas

O Beijo Amargo

Naked Kiss, EUA, 1964, Drama, 90 minutos
Direção: Samuel Fuller
Elenco: Constance Towers, Anthony Eisley, Karen Conrad

Cartaz

Kelly é uma prostituta que viaja de cidade em cidade fingindo ser uma vendedora de champagne. Ao chegar na pequena cidade de Grantville, ela logo encontra seu primeiro cliente, o policial Griff, que após uma noite com Kelly, diz a ela que não quer prostitutas na cidade e a manda procurar emprego em uma casa noturna perto dali. A moça, no entanto, decepcionada e cansada do meretrício, descobre que há na cidade um hospital ortopédico para crianças necessitadas, que é mantido pelo homem mais rico da cidade, J.L. Grant. Kelly consegue se tornar enfermeira no hospital e logo se torna reconhecida por sua dedicação e amor pelas crianças. Em uma de suas festas, o próprio J. L. Grant acaba conhecendo e se apaixonando por Kelly. Quem não fica nada feliz com a mudança da ex-prostituta, é o enciumado policial Griff, que tenta acabar com o romance. Em meio a tudo isso, surge algo muito pior, um terrível segredo guardado por Grant.

O Beijo Amargo é um dos filmes menos conhecidos de um diretor também não muito conhecido, o judeu Samuel Muller, que é mais lembrado por abordar a guerra em suas obras durante os anos 1950. Tendo ele combatido como soldado na Segunda Guerra Mundial, Fuller tinha uma relação muito pessoal com a temática que acabou se tornando sua favorita. Seu filme mais conhecido, Capacete de Aço, de 1951, foi o primeiro a abordar a Guerra da Coreia e a integração racial no exército americano. Na década de 1960 a carreira de Fuller já estava em declínio e seus filmes dessa época, entre eles O Beijo Amargo, são de baixo orçamento.

Fuller conseguiu superar o problema da falta de dinheiro trazendo assuntos polêmicos e pouco discutidos na época, para os cinemas. O Beijo Amargo, por exemplo, além de lidar com a prostituição, traz a tona o até então quase totalmente ignorado dilema da pedofilia.

Felipe Augusto Hencklain

NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Tema: Redenção
Contém: Insinuação sexual

TRAILER